A sua loja de dança na internet
Você não tem nenhum item em seu carrinho de compras.
Filters
Pesquisa
banner
RSS

Blog

Os benefícios do ballet para adultos e crianças

Além de ser uma arte admirada em todo o mundo, o ballet é uma atividade que trabalha corpo
e mente, resultando em curvas definidas e na melhora da concentração. Por esse motivo não
somente as filhas e filhos, mas muitas mães também têm procurado a modalidade.


Segundo especialistas, o ballet é uma atividade que encoraja a disciplina física, o controle e
conhecimento do próprio corpo; e inspira um senso de confiança física e mental. Ou seja, bom
para pessoas de qualquer idade.


Para se ter uma ideia, é possível ter um gasto de até 350 calorias em uma aula de 60 minutos,
numa turma iniciante. No caso de uma turma mais avançada, quando se exige mais agilidade e
execução de coreografias, a queima chega a ultrapassar 500 calorias.
Para muitos pais que se preocupam com a formação de seus filhos, a dança pode ser uma
grande aliada na evolução física e mental de uma criança durante o processo de
desenvolvimento.


De acordo com a diretora artística do tradicional Ballet Evelyn, Evelyn Agabiti Esteves, o
envolvimento com essa arte promove um conhecimento maior do corpo e suas possibilidades,
coordenação motora, ritmo, musicalidade, atenção, sociabilização e principalmente a
criatividade e expressividade corporal como meio de comunicação.
Evelyn explica que dançar deveria ser algo natural no desenvolvimento da criança, mas o
preconceito e as barreiras artísticas impedem isso. Segundo ela, as pessoas já nascem
dançando naturalmente. “O movimento cósmico é uma grande dança. O que acontece é que a
sociedade paralisa o que era espontâneo, com suas regras e preconceitos. Maravilhoso seria se
todos tivessem acesso ao ensino da dança e descobrissem desde cedo essa forma de
expressão. A dança liberta a alma”.


Benefícios do ballet para adultos:
- É uma técnica que trabalha todo o corpo
- Por exigir fôlego, trabalha a respiração
- Propicia uma boa postura e habilidade corporal;
- Fortalece a musculatura
- Trabalha o abdômen
- Melhora a flexibilidade
- Melhora a autoestima
- Libera endorfina, causando bem-estar
- Proporciona mais agilidade e coordenação motora
- Trabalha o controle mental

- Encoraja a disciplina física, o controle e conhecimento do próprio corpo (consciência
corporal)
- Inspira um senso de confiança física e mental
- Desenvolve a sociabilidade
- Permite a relação entre emoção, música e movimento
- Promove o conhecimento e gosto pelas outras linguagens artísticas;
- Desenvolve a capacidade criativa.

Benefícios da dança para as crianças:
- Encoraja a disciplina física, o controle e conhecimento do próprio corpo (consciência
corporal);
- Propicia uma boa postura e habilidade corporal;
- Inspira um senso de confiança física e mental;
- Desenvolve a sociabilidade;
- Permite a relação entre emoção, música e movimento;
- Promove o conhecimento e gosto pelas outras linguagens artísticas;
- Desenvolve a capacidade criativa.

Vai Sapatear? Confira tudo sobre sapatos para Tap Dance

 

Os primeiros sapatos específicos para Tap Dance surgiram somente no início do século 19,
mas, antes desses, existiram algumas adaptações. Os primeiros modelos a marcarem o
estilo foram os tamancos de madeira (clogs), utilizados por operários irlandês do século
quinto. Já por volta de 1800, o “sapato musical”, como ficou conhecido na época, recebeu
novos materiais: com solado de couro e moedas afixadas nos saltos e ponteiras, para que o
som soasse mais limpo.


Com a chegada do sapateado nos Estados Unidos, em meados do século 19, foram
desenvolvidos, então, os primeiros modelos específicos para a dança, substituindo as
antigas moedas por chapinhas de metal, as famosas TAPS. Com isso, o sapateado americano
se popularizou e se sofisticou por meio de grandes dançarinos como Fred Astaire, Ginger
Rogers, Gene Kelly, Ann Muller, entre outros.


Depois de atravessarem décadas, os sapatos para Tap receberam modificações e hoje
possuem modelos de diversas marcas. A marca brasileira Só Dança, por exemplo, possui 19
modelos em linha com materiais e tecnologias para todos os gostos. São eles
confeccionados com couro, material sintético e até mesmo com camurça e nylon, como o
Tênis de Tap Dance da marca. Chic, não?

 


Hoje, os sapatos para Tap da marca são exportados para mais de 50 países e usados por
grandes nomes do sapateado mundial como Chris Matallo, Derick Grant e Aaron Tolson.
Como são fabricados
Para quem nunca conferiu como funciona o processo de criação de um sapato para Tap,
aqui vai um passo a passo. Segundo o diretor industrial da Só Dança Vanderlei Araújo, esse
processo é uma verdadeira obra de arte dividido em algumas etapas. Confira cada uma
delas:


Corte – nessa etapa, todas as partes do sapato são cortadas separadamente, como um
verdadeiro quebra cabeça que ao final dará um sapato incrível.
Preparação de sola – nesta etapa, eles são lixados e recebem as informações de tamanho.
Costura – nesta outra, cada parte do sapato que leva costura começa a ganhar forma.
Montagem – já nesta, cada parte do sapato é inserido em uma forma com exatamente o
tamanho do sapato em questão.

Solagem – continuação da anterior, nessa etapa, são finalmente inseridos a sola do sapato.
Colocação de chapinha – por fim, na última etapa, são realizados colocação e afinação das
chapinhas!

Escolhendo o modelo ideal


Depois de descobrir algumas curiosidades sobre os sapatos para Tap, é hora de saber qual o
modelo ideal.De acordo com o diretor industrial, a Só Dança possui diversos modelos, que
vão do estudante ao profissional, e que a diferença dos materiais está ligada ao conforto e
durabilidade do sapato. Ele explica que os confeccionados com couro, por exemplo, tendem
a ser mais confortáveis e ter maior durabilidade.


Para quem está começando, diz que o recomendado são os modelos de estudante, para que
o bailarino se acostume com o peso do sapato e com a sonoridade das chapinhas. Porém,
afirma que nada impede que o estude comece com um sapato profissional e que essa
escolha vai de acordo com o próprio bailarino, e até mesmo por recomendação do
professor.


Cuidados necessários no dia a dia


Quanto aos cuidados, Vanderlei informa que não há nenhuma recomendação específica,
mas que é sempre bom mantê-los arejados posterior às aulas e apresentações. Outra opção,
segundo ele, é o uso de capinha nas chapinhas, para protegê-las de danos quando utilizadas
em ambientes em que o piso não é próprio para o uso do sapato.
Já sobre a manutenção do calçado, o diretor informa que o máximo que pode ser necessário
é em relação ao timbre das chapinhas, que pode ser ajustado com o auxílio de uma chave
de fenda philips, sempre que o bailarino achar necessário.

TAP Infantil

Tudo o que você deve saber antes de matricular seu filho numa aula de sapateado

 

A aula de sapateado é uma opção lúdica e saudável de manter os pequenos sempre em movimento. Engana-se quem pensa que ela seja menos interessante do que outros estilos, pois o TAP é a combinação perfeita de som, ritmo e espetáculo, o que deixa as crianças fascinadas. Logo,  se está pensando em matricular seu filho nesta aula, leia a seguir algumas informações e dicas básicas que precisa saber.

 

Como funciona

 

A técnica de sapateado infantil é a mesma utilizada na aula para adultos, porém a metodologia de ensino pode ser adaptada de acordo com idade e nível das crianças. A professora de TAP Fernanda Russo diz que, particularmente, gosta de incluir jogos de interação e cooperação nas aulas. “Elas gostam da aula e a vantagem das crianças é que elas têm uma memória muito fresca, então conseguem entender e decorar tudo muito mais rápido”, diz.

 

Segundo a dançarina, a aula se divide em três etapas, iniciando sempre com o aquecimento, seguindo para a parte técnica, quando as crianças aprendem os passos da sequência, e finalizando com  a coreografia, quando os sapatos tocam o chão e se movem no mesmo ritmo da música, fazendo um verdadeiro ‘canto’ com os pés.

 

“Outra particularidade bem marcante e fácil de entender é que o TAP é trabalhado sempre com as pernas paralelas (en dedan), diferente do  ballet, por exemplo, onde as pernas ficam “abertas” (en dehor)”, explica a professora.

 

 

Benefícios

 

“A dança em si proporciona muitos benefícios para as crianças.  O Tap ainda trabalha de forma rica os aspectos sonoros e visuais, como sons, ritmos, sequências, o que ajuda as crianças até nas disciplinas mais complexas, como a matemática”, garante Fernanda. O sapateado também contribui para a socialização, auto-estima,  ajuda na concentração, coordenação motora e equilíbrio e proporciona condicionamento físico.

 

Quando começar

 

É possível iniciar no sapateado ainda bem cedo, no entanto, a idade ideal é a partir dos 6 anos de idade, período no qual a criança está com alta energia e precisa desenvolver a concentração e raciocínio. “Nessa fase, o corpo também já está mais preparado para que os movimentos sejam bem trabalhados. O indicado é que a criança faça a aula duas vezes por semana”, complementa a tap dancer.

 

O que fazer antes de matricular a criança

 

É muito importante que os pais sigam alguns ‘passos’, antes de matricular o filho no sapateado. O primeiro é se certificar de que a criança não possui nenhum desgaste físico que a impeça de fazer a aula, uma avaliação ortopédica é uma boa opção. Em segundo lugar, procurar uma escola de confiança, que tenha uma boa estrutura e cujo chão da sala de aula seja de madeira, pois o material ajuda a diminuir o impacto do corpo com o solo. Para se certificar de que a criança vai se adaptar bem ao ambiente e a modalidade, peça uma aula experimental na escola.

 

Roupas e calçados

 

Os sapatos são a principal marca desse estilo, por isso, precisam ser específicos para sapateado, com chapas de metal na parte inferior do calçado e com um bom timbre, pois isso vai determinar a qualidade dos sons emitidos na dança. Existem diversos modelos e pontos de venda, mas o mais importante é escolher qual modelo mais gosta e mais se ajusta aos pés. É importante ressaltar que os sapatos devem ser substituídos à medida que os pés das crianças crescem e não ficam mais confortáveis no calçado.

 

Assim como os calçados, Fernanda orienta que os roupas também precisam ser confortáveis. "Precisam ser o mais confortável possível e de preferência não tão largas nas pernas para o professor poder olhar e corrigir a posição. Roupas de ginástica são a melhor opção", conclui.

 

Passos básicos

 

Tap significa bater a chapinha da frente sem peso.

Step, bater a chapinha da frente com peso (andar, passo).

Hell, bater apenas o calcanhar.

Dig, bater o calcanhar na frente;

Ball Change, contratempo de dois steps.

 

 

Tap Dance para Iniciantes

Dicas básicas para começar nas aulas de sapateado

 

Sapatear vai muito além de dançar, é também uma forma de expressão artística e corporal que une som, movimento e espetáculo, o famoso 3 em 1. O Tap, como também é conhecido o sapateado, é uma atividade que desenvolve ritmo, concentração, musicalidade, entre outras habilidades. Para quem está iniciando ou pensa em ingressar na aula, é interessante conferir alguns fatos e dicas sobre a modalidade. Confira a seguir:

 

Sobre o TAP Dance

 

O sapateado é uma dança originalmente irlandesa, mas acredita-se que tenha recebido diversas influências ao longo dos anos. No entanto, foi nos EUA, na primeira metade do século 19, que a dança se popularizou, sendo resultado da fusão dos estilos de sapateado dos  irlandeses com os africanos. Apreciado em todo o mundo, o sapateado é considerado uma dança extremamente rica e artística, combinando uma série de sons, técnicas e ritmos em um só estilo. O grande diferencial e principal marca da modalidade são os sons sincopados e ritmados, reproduzidos pelos pés, os quais são feitos verdadeiros instrumentos de percussão. Além disso, o que também o diferencia é a máxima atenção e concentração exigida, pois além dos movimentos serem executados corretamente, eles devem estar no mesmo ritmo da música ou nos contratempos corretos.

 

Benefícios

 

Por ser uma atividade rítmica, o sapateado também é considerado uma excelente atividade aeróbica, pois auxilia na melhora do condicionamento cardiovascular, ativa a circulação, melhora a capacidade respiratória e ainda contribui para a perda de calorias. Segundo a tap dancer Talita Cáceres, os benefícios da modalidade vão além do físico. “Também desenvolve ritmo, musicalidade, coordenação motora, trabalha habilidades cognitivas e memória”, explica a dançarina.

 

Equipamentos

 

Os sapatos são os principais equipamentos da dança, por isso, precisam ser muito bem escolhidos. Eles devem ser específicos para sapateado, com plaquetas de metal na parte inferior do calçado. O conforto também é um ítem indispensável, pois facilita os movimentos e evita a formação de calos. “Existem vários modelos de sapatos para escolher e praticar, é preciso testar qual o melhor e mais seguro. Além dos calçados, sobram as roupas, que precisam ser confortáveis de igual modo”, diz.

 

Passos básicos

Apesar de ser uma dança complexa, com diversas sequências e técnicas, é possível conhecer os passos mais básicos. São eles: Tap, Step, Hell, Dig e Ball.

 

Tap significa bater a chapinha da frente sem peso.

Step, bater a chapinha da frente com peso (andar, passo).

Hell, bater apenas o calcanhar.

Dig, bater o calcanhar na frente;

Ball Change, contratempo de dois steps.

 

“Os passos vão sendo decorados na medida que se pratica. Uma maneira para fixar mais fácil é ir falando os nomes no ritmo da música junto com a execução deles”, indica a profissional, que também é professora de TAP.

 

Sobre o curso

 

Qualquer pessoa pode fazer sapateado, desde que não tenha nenhum desgaste físico na coluna, pé, joelho ou quadril. Por isso, é muito importante fazer uma avaliação ortopédica, antes de começar na dança. As turmas normalmente são divididas por faixa etária e níveis de dificuldade, que vão do iniciante 1,2,3, intermediário 1,2,3  e avançado 1 e 2. O tempo de formação leva, em média, 6 anos, mas pode variar de acordo com cada escola.

 

Uma aula de sapateado inicia sempre com alongamento, passando pela parte técnica, onde os passos são ensinados, seguindo então para exercícios de coordenação motora e rítmica, de onde surgem as sequências de dança.

 

Dicas para aperfeiçoamento

 

Segundo a professora, é normal sentir dificuldades e errar alguns passos no início, mas o primordial é ser persistente, pois a tendência é que eles se aperfeiçoem com a prática. “Já o tempo para chegar a categoria profissional é algo muito relativo, pois normalmente você aprende a maioria dos passos básicos, combinados e sequências da dança em aproximadamente 6 anos (depende da carga horária de aulas). Para quem quer continuar evoluindo com a técnica, o ideal é fazer aulas com diferentes professores, participar de workshops, e assim por diante”, aconselha a tap dancer.

 

 

 

O primeiro dia de aula de ballet da minha princesa

 

Dançar como uma linda bailarina é o sonho de muitas meninas. É com essa imagem na cabeça
que elas vão para a sua primeira aula de ballet. Apesar da facilidade que bailarinas dançam,
cada movimento exigirá alguns anos de muita dedicação para serem executados. Por isso, a
primeira coisa importante é trabalhar na criança a frustação de um primeiro dia sem muitas
conquistas.

Uma dica importante é conscientizar a criança de que o treino, a paciência e a persistência
serão essenciais para dançar lindamente. Para isso, mostre vídeos de espetáculos de ballet no
YouTube e, em seguida, de aulas, fazendo um comparativo. Assim, ela entenderá que existe
um processo e que todo ele fará parte da vida de uma verdadeira bailarina.
Para alunas iniciantes no baby class, essa preocupação pode ser menor, já que a metodologia é
mais lúdica para entreter as crianças e ajuda a trabalhar com o imaginário das alunas. Isso
contribui bastante para que a aula seja divertida, principalmente no primeiro dia de aula.

Comportamento em sala de aula


Durante a aula de ballet, há algumas regrinhas que todo mundo deve seguir. Coisas básicas,
mas que valem atenção:
- Oriente sua pequena a não tirar as sapatilhas, a não ser que a professor peça para fazer isso;
- O coque deve estar impecável e a roupa também;
- Antes do primeiro dia de aula, procure se informar sobre o uniforme correto que ela deve
usar para não destoar das colegas;
- Não saia para beber água ou ir ao banheiro sem pedir permissão da professora. Uma dica
importante é levar sempre uma garrafinha de água para não ficar saindo o tempo todo;
- Se não conseguir executar algum movimento, peça ajuda à professora;
- Caso sinta alguma dor ou incômodo, também fale para a professora.


Recadinhos


Geralmente, no término das aulas, a professora costuma entregar recados para os pais. Essa é
uma prática comum em aulas de baby class e ballet infantil. Diga a sua filha para ficar atenta
sobre isso e sobre outras orientações da professora.
Lembre-se! Dançar deve ser um momento especial para a sua filha. Os resultados serão apenas
consequências de uma linda relação que ela poderá ter com essa arte.


Gostou do post? Comente aqui!


Ficou com a alguma dúvida? Também comente aqui.
Vamos ficar felizes em ajuda-la!

Dicas para um coque rápido de bailarina

Quem diria que o coque mais clássico das aulas e apresentações de ballet se tornaria um dos penteados mais fashionistas do mundo.

Pois é! Na São Paulo Fashion Week de 2011, ele foi listado (e desfilado) como uma das tendências de verão e também como uma opção
elengantérrima para as festas de gala.

coque rapido bailarina


Na época, o desfile da Água de Coco usou um truque criativo (já antigo entre as bailarinas)
para fazer um coque elegante que dá voltas com o cabelo. O truque nada mais é que uma
redinha transparente, dessas que você encontra em farmácias, perfumarias e aqui na loja virtual Império da Dança.

Se você gostar da nossa dica e for até uma dessas lojas comprar a redinha, preste bastante atenção, pois há
algumas redes que são mais grossas e não darão o efeito que queremos aqui. Na embalagem
deve estar escritro redinha “transparente”.


Mas antes de irmos para o passo a passo, vale lembrar que não foi apenas em 2011 que as
bailarinas serviram inspiração no mundo fashion. Nos últimos ano, principalmente em 2016 e
2017, grandes marcas troxeram não somente os cabelos, mas também adaptaram peças
clássicas do univerno bailarinístico. Saias de transpassar, os tons de rosa, as poilanas e, o mais
atual deles, o body ( no ballet chamado de collant).

como fazer coque bailarina

FONTE: Imagens GNT/SPFW

1 – Como você pode ver na imagem acima, esse coque começa com um rabo de cavalo bem
feito. A altura, quem determina é você.
2 – O próximo passo será pregar a redinha no rabo. Com um grampo, pregue a redinha em
cima do rabo, próximo ao elático em que ele está preso.
3 – Agora, com uma ponta da redinha presa ao topo do rabo, ajuste a rede no comprimento do
cabelo.
4 – O rabo deve ser totalmente envolvido com a redinha. Cobra-o com a rede de uma forma
que nenhum fio possa soltar.
5 – Com o cabelo coberto pela rede, comece a enrola-lo em volta do elástico onde está preso o
rabo e vá colocando os grampos para fixar o coque durante esse processo.

Pronto! O seu coque legítimo de bailarina está impecável para uma aula de ballet, espetáculo
ou até mesmo para um super evento badalado, como dizem os fashionistas.

Até breve!

Equipe Império da Dança

A relação da bailarina com a meia calça

O verão está chegando e muitas mães se perguntam: precisa mesmo colocar a meia calça?

Precisa sim, mamães! E nós vamos explicar tudinho.

Meia calça dança


É sabido que uma das funções principais de qualquer meia calça é esquentar as pernocas.
Inclusive, no ballet, usam-se muitos acessórios para esquentar partes estratégias do corpo.

E isso não é hábito apenas de bailarinas e bailarinos da Rússia ou de outros países com invernos
rigorosos. Esquentar as pernocas também vale para as bailarinas brasileiras. É claro, que
polainas no verão podem ser desnecessárias, mas as meias não! Com as pernas aquecidas, é
mais fácil evitar lesões.
Além evitar esses probleminhas, as meias também não permitem esfoliações na pele durantes
aulas de alongamento e exercícios de chão ou de barra.


Outras dúvidas frequentes de mães que vão iniciar com suas filhas no ballet são: qual cor
optar, qual o material ideal e escolher pelas meias com ou sem pé, ou de pé conversível.
Vamos lá...

meia calça ballet


COR


Em aulas de ballet clássico, as cores mais usadas são a rosas ou salmon. No entanto, há escolas
que também optam pelas meias na cor da pele. Então, vale primeiro se informar com a escola
qual será a cor adotada.


MATERIAL


Elas podem ser de helanca (mais comuns) ou de suplex (lycra). Aí vai da sua preferência. As de
helanca são as mais recomendadas para crianças, já que oferecem mais conforto às alunas. Já
as de suplex aderem melhor à perna e são mais resistentes, tendo uma duração mais
prolongada.
Não se recomenda usar meias comuns em aulas de ballet. Acredite! Elas não chegarão inteiras
até o final de uma única aula.



As meias com pé são usadas por crianças e alunas do iniciante. Isso porque não há a
necessidade de calçar ponteiras (logo vou explicar) e nem de ficar sem as sapatilhas.


As meias sem pé são recomendadas para aulas em que será necessário ficar sem as sapatilhas.
Com os pés no chão, a bailarina não escorregará.


Já as meias com pé conversível podem proporcionar as duas funções acima em uma única
peça. Se a aluna precisar tirar as sapatilhas, basta dobra-la e pronto! Essa meia também é
muito usada por alunas que já fazem aulas com a sapatilha de ponta. É comum calçar as
ponteiras de silicone (que servem para proteger os dedos) antes de calçar os pés nas meias.
Mas há quem opte fazer o contrário.

Espero ter convencido você, mamãe, que usar meia calça é fundamental em uma aula de
ballet, mesmo que no verão. E cá entre nós, elas ficam super charmosas e elegantes!

Se ficou alguma dúvida, mande um e-mail para nós: contato@imperiodadanca.com.br

Será um prazer lhe ajudar!
Até a próxima!

Equipe Império da Dança

Sapatilhas de meia ponta: tudo o que você precisa saber

Chegou o dia de comprar a sapatilha de meia ponta da sua bailarina. Então, você busca no
Google e percebe que existem diferentes estilos, tecidos, solas e cores. O que fazer?
Não se desespere! Nós estamos aqui para ajudá-la nessa missão. Logo abaixo você vai
descobrir qual modelo escolher.


Numeração
A primeira coisa que você deve saber é qual tamanho comprar. Se escolher o tamanho exato
que sua filha calça os sapatos, corre o risco de ficar muito justa nos pés. Por isso, recomenda-
se usar 1 ou até 2 números acima que ele costuma usar.


Material
Há uma infinidade de materiais nos quais são feitas as sapatilhas de meia ponta. Couro, cetim,
lona e courinho (sintético). As mais usadas são as de lona. Hoje, também existem sapatilhas
em lona com stretch, que vestem com mais conforto e facilitam a mobilidade dos pés e dos
dedos durante os movimentos. Na hora de escolher, também é importante pensar na
aderência do material ao ter contato com o chão.


Elásticos
Os elásticos são importantes para que as sapatilhas não saiam dos pés. Sempre envolvendo o
início dos tornozelos, podem únicos ou duplos cruzados, como na imagem abaixo. Algumas
sapatilhas já vêm com eles costurados.


Além desse elástico, tem aquele que fique em cima do pé e que ajuda a deixar a sapatilha mais
justa. Como muitas coisas que evoluíram na dança, também já fabricam sapatilhas de stretch
que não precisam desse elástico.


Fitas
As fitas não são obrigatórias nas sapatilhas de meia ponta. Então se tornam opcionais. No
entanto, se optar por usá-las, peça orientação sobre a forma correta de pregá-las e de amarrá-
las.
Já nas sapatilhas de ponta, usadas por alunos dos níveis intermediário e avançado, o uso das
fitas se torna obrigatório.


Solado
Sola inteira ou ovinho? As sapatilhas de sola inteira são recomendadas para alunas iniciantes.
Já as sapatilhas de ovinho (sem solado no meio dos pés / sola dividida) são recomendadas para
alunas dos níveis intermediário e avançado. Esse último modelo de solado ajudará a bailarina a
exercitar melhor o colo de pé.

sapatilha meia ponta


Cores

Apesar de haver muitas opções de cores de sapatilhas, as clássicas, usadas em sala de aula, são
aquelas nos tons de rosa claro, salmon ou bege. Já nas aulas de jazz, geralmente são usadas
sapatilhas pretas.


Agora você já sabe como escolher a sapatilha perfeita para a sua bailarina. Mas se ainda tiver
dúvidas, nos mande um e-mail contato@imperiodadanca.com.br , que responderemos em breve.

Até logo!

Equipe Império da Dança

Checklist da bailarina de primeira viagem

Você já parou para pensar que cada item na bolsa de uma bailarina tem a sua importância?
Alguns deles ajudam na avaliação da professora e outros podem evitar machucados ou até
mesmo melhorar o rendimento da bailarina.
É claro que esses itens podem variar um pouco, de acordo com o nível de cada uma. Para não
confundi-la, hoje vamos fazer um checklist da bailarina de primeira viagem. Nele, você,
mamãe, poderá listar os itens básicos que sua filha vai precisar para ingressar numa escola de
ballet.

lista bailarina


1) Collant
Uma das peças mais usadas no ballet é o collant. Ele proporciona a mobilidade da bailarina. Na
maioria das escolas, as aulas, principalmente de barra, são realizadas somente de collant e
meia calça. Isso possibilita que o professor analise de forma precisa a postura e se o
desenvolvimento de cada posição está correto.


2) Meia Calça
Além das funções de aquecer no inverno, proporcionar mais mobilidade e viabilizar a análise
dos movimentos, como citamos acima, a meia calça também impede o atrito da pele com o
chão e com a barra. Sem ela, sua filha pode ralar as pernas e pés nos exercícios de
alongamento e de aquecimento durante a aula.


3) Sapatilha de meia ponta
Elas serão as responsáveis por proteger os pés da sua pequenina. No caso das iniciantes,
recomenda-se comprar as sapatilhas de sola inteira (aquela que não tem um espacinho entre
os dedos e calcanhar). Esse tipo de sapatilha geralmente vem com elástico costurado no peito
do pé. Caso a que escolher não venha, será necessário costura-lo. Ele evitará que sua bailarina
não perca a sapatilha entre um movimento e outro.


4) Grampos
Está aí um item que sempre tem de sobra em bolsa de bailarina. Isso porque bailarina que é
bailarina faz aula de coque. O cabelo deve estar bem preso durante toda a aula.


5) Redinhas
Em muitos casos, quando o cabelo é bastante liso ou repicado, a redinha se torna um item
indispensável. Muitas também usam por facilitar o penteado no dia a dia.


6) Saia
A saia é um item muito usado nos exercícios de centro e diagonal. Elas também deixam as
alunas mais a vontade na execução dos movimentos. Mas atenção! Elas não devem ser longas,
pois saias na altura do joelho ou abaixo dele dificultam a avaliação do professor na execução
dos movimentos.

7) Bolsa de ballet
Uma dica essencial para nunca esquecer nenhum dos itens desta lista é ter uma bolsa exclusiva
do ballet.


8) Garrafa de água
Como em qualquer atividade, a hidratação é fundamental. No entanto, há professores que
pedem que as alunas levem garrafinhas de água para não ficarem saindo da sala de aula.
Então, é melhor prevenir!


9) Caderno
A aula de ballet não se resume apenas em praticar a dança, mas também em aprender sua
história, seus repertórios e os nomes e significados de cada passo. Para isso, é necessário que
sua filha tenha na bolsa um caderninho para fazer essas anotações ou ainda para os avisos do
professor. Hoje, há escolas que utilizam apostilhas e comunicados impressos. Mas em todo caso, melhor

pecar pelo excesso, do que pela falta do caderno.


Pronto! Agora já sabe o que comprar para a sua filha iniciar uma aula de ballet.


Qualquer dúvida, escreva para nós no e-mail: contato@imperiodadanca.com.br

Será um prazer lhe ajudar nessa fase tão especial para mãe e filha.
Boa sorte!

Equipe Império da Dança

Como é feita uma sapatilha de ponta

Ballet clássico é uma das danças mais praticadas em todo o mundo. Ela é composta de passos precisos e muitas vezes em cima apenas das pontas dos pés.

A linda coreografia é excutada pela bailarina com o auxilio das chamadas sapatilhas de ponta, que são calçados com palmilha firmes no qual a bailarina consegue colocar todo o peso do corpo sobre apenas os dedos dos pés.

Gesso, madeira ou ferro?

Afinal do que é feita uma sapatilha de ponta e como ela é fabricada? Nesse vídeo o consultor da marca Só Dança explica todos os segredos desse calçado.

 Link do vídeo:

Como é feita uma sapatilha de ponta

 

Até a próxima!